Processo de Diogo Correia do Vale

Crime/Acusação

judaísmo

Data da prisão

12/10/1730

Estado civil

viúvo

Estatuto social

cristão-novo

Idade

58 anos

Mãe

Violante de Mesquita, cristã-nova

Morada

Minas do Ouro Preto, Brasil

Naturalidade

Sevilha, Castela

Origem

Inquisição de Lisboa

Pai

Luis Correia, cristão-novo

Sentença

auto-da-fé em 06/07/1732. Relaxado à justiça secular.

Cônjuge

Isabel Mendes, cristã-nova

Cargos, funções, actividades

médico

Notas

O réu no próprio dia, no cadafalso, antes do referido auto, fez nova confissão; depois de vista pela Mesa da Inquisição, foi ordenado o envio dos autos ao Conselho Geral, tendo este concluido que a referida confissão não continha nada que alterasse a sentença anteriormente proferida pelo que ordenaram o cumprimento da mesma. O réu não era filho legítimo de Luis Correia e Violante de Mesquita, foi criado por eles como tal. O verdadeiro filho do casal tinha falecido.