Processo de Catarina da Silva e Sousa

Crime/Acusação

judaísmo

Data da prisão

28/08/1673

Estado civil

solteira

Estatuto social

1/4 de cristão-novo

Idade

23 anos

Mãe

Maria da Silva e Sousa, cristã-velha

Morada

Quinta da Cavalariça, termo de Alfeizerão

Naturalidade

Pederneira

Origem

Inquisição de Lisboa

Pai

Nuno de Brito Alão, parte de cristão-novo, foi capitão de Pederneira e que vivia de sua fazenda

Sentença

auto-da-fé de 10/12/1673, confisco de bens, abjuração em forma, cárcere e hábito penitencial a arbítrio, penitências espirituais.