Processo de José Madeira

  • Código de referência: PT/TT/TSO-IL/028/00505-1
  • Crime/Acusação: solicitação, ameaças aos denunciantes, administrava mal o sacramento da penitência pois confessava estando proibido de o fazer, impedia e perturbava e julgava mal do recto procedimento do Santo Ofício.
  • Data da prisão: 19/10/1755
  • Estado civil: solteiro
  • Estatuto social: cristão-velho
  • Idade: 46 anos
  • Mãe: Maria Luís
  • Morada: Santo António do Tojal
  • Naturalidade: São Bartolomeu de Urros, comarca da Torre de Moncorvo, arcebispado de Braga.
  • Origem: Inquisição de Lisboa
  • Pai: José Madeira, rendeiro
  • Sentença: 14/10/1756, degredo de 3 anos em Castro Marim.
  • Cargos, funções, actividades: sacerdote do hábito de São Pedro, cura coadjutor da freguesia de Santo António do Tojal
  • Notas: O réu esteve preso na Inquisição de Coimbra, em 05/12/1735, tendo como data da apresentação 22/11/1737, fora acusado dos crimes de solicitação e de perturbador e uma das sentenças que lhe aplicaram foi a de nunca mais poder confessar. Em 19/10/1755, quando era padre em Santo António do Tojal, foi preso pela Inquisição de Lisboa, em 07/11/1755 foi enviado para a Inquisição de Coimbra devido ao terramoto que destruiu Lisboa.