Processo de D. Luísa da Cunha

Crime/Acusação

judaísmo

Data da prisão

13/08/1625

Estado civil

casada

Estatuto social

1/2 cristã-nova

Idade

40 anos

Mãe

D. Jerónima Vaz, cristã-nova

Morada

Granja da Paradela, junto a Odivelas, termo de Lisboa

Naturalidade

Coimbra

Origem

Inquisição de Lisboa

Pai

Mateus de Siqueira, cristão-velho, nobre que vivia de sua fazenda, ex-capitão em Armadas

Sentença

auto-da-fé de 02/09/1629. Abjuração de leve, cárcere a arbítrio e penitências espirituais.

Cônjuge

Simão da Fonseca de Vasconcelos, cristão-velho, almoxarife da comenda de São Brás.

Notas

A ré, é irmã de Diogo Lopes de Siqueira, que foi preso por judaísmo em 17/07/1619, e degredado para Angola.