Processo de Francisco de Barros Viana

  • Código de referência: PT/TT/TSO-IL/028/00409
  • Crime/Acusação: bigamia
  • Data da prisão: 20/02/1794
  • Estado civil: casado
  • Idade: 40 anos
  • Mãe: Maria da Silva
  • Morada: Brasil
  • Naturalidade: Freguesia de São Miguel de Oriz, Braga
  • Origem: Inquisição de Lisboa
  • Pai: Francisco de Barros
  • Sentença: auto-da-fé privado de 24/10/1796. A Inquisição de Lisboa mandou o réu apresentar-se todos os dias na Sala da mesma, excepto nos dias feriados, e que não saísse da cidade sob pena de ser gravemente castigado.
  • Cônjuge: Angélica Rosa de Santo António, exposta
  • Cargos, funções, actividades: vivia do negócio da compra e venda de gado
  • Notas: O réu casou a 3ª vez com Maria do Nascimento, da cidade da Baía, e a 4ª vez com Maria Joaquina do Nascimento, viúva do alferes João Baptista, da comarca de S. Paulo, Brasil, estando viva ainda a 2ª mulher Angélica Rosa de Santo António (pois era viúvo de Maria Alves do Rosário) residente no Porto, em Portugal. Aquando dos proclames do matrimónio com a 4ª mulher, o réu mudou o seu nome e o estado civil. O réu apresentou-se ainda no Brasil para ser ouvido; veio num navio para Portugal, e foi julgado em Lisboa.
  • Outras formas do nome: Francisco José Viana
  • Data da confissão: 22/01/1795