Processo de António Lopes

Crime/Acusação

judaísmo

Data da prisão

08/09/1606

Estado civil

casado

Estatuto social

cristão-novo

Idade

32 anos

Mãe

Maria Ferreira, cristã-nova

Morada

Lisboa

Naturalidade

Tomar

Origem

Inquisição de Lisboa

Pai

Simão Juzarte, 1/4 de cristão-velho, sem ofício, vivendo por sua fazenda

Sentença

auto-da-fé de 05/04/1609. Confisco de bens, abjuração em forma, cárcere e hábito penitencial a arbítrio dos inquisidores, instrução na fé católica, penitências espirituais.

Cônjuge

Vitória Henriques, cristã-nova

Cargos, funções, actividades

ex-sirgueiro e chatim

Notas

O réu, encontrando-se no cárcere da Inquisição, "(...) rompeu a parede do aposento em que estava: fazendo nela um buraco que passava a outra casa (...)", sendo, por este motivo, sentenciado novamente em 07/04/1609 e condenado, em auto-da-fé privado, a degredo para Castro Marim, por dois anos.