Processo de Álvaro Fernandes

Crime/Acusação

bigamia

Data da prisão

15/02/1608

Estado civil

casado

Estatuto social

cristão-velho

Idade

31 anos

Mãe

Ana Fernandes, cristã-velha

Morada

lugar do Cume, Guarda

Naturalidade

Póvoa de Cervães, termo de Azurara, bispado de Viseu

Origem

Inquisição de Lisboa

Pai

Lourenço Fernandes, lavrador, cristão-velho

Sentença

auto-da-fé de 05/04/1609. Ir ao auto-da-fé com vela acesa na mão, abjuração de leve, açoitado publicamente, degredo para as galés, por cinco anos, fazer vida marital com sua legítima mulher, penitências espirituais, pagamento de custas.

Cônjuge

Maria Fernandes

Cargos, funções, actividades

pastor

Notas

O réu casou a segunda vez com Maria Fernandes, cristã-velha. Por provisão do bispo [D. Pedro de Castilho], Inquisidor Geral, de 01/04/1613, o réu foi solto, tendo de apresentar-se na Mesa com a certidão do tempo que cumpriu nas galés.

Outras formas do nome

Francisco Jorge