Processo de Diogo da Silveira

Crime/Acusação

islamismo

Data da prisão

23/04/1557

Estado civil

casado

Estatuto social

mourisco forro

Idade

40 anos

Morada

São Cristovão, Lisboa

Naturalidade

Azamor

Origem

Inquisição de Lisboa

Sentença

abjuração em forma, cárcere e hábito perpétuo

Cônjuge

Catarina da Fonseca, mourisca forra

Notas

O réu era cativo de António da Silveira

Data do auto-da-fé

1557. Liberto em 15 de Novembro de 1559, com a condição de não sair do reino sem licença dos inquisidores.