Processo de Diogo Soares

Crime/Acusação

judaísmo

Data da prisão

25/05/1572

Estado civil

casado

Estatuto social

cristão-novo

Idade

30 anos

Mãe

Francisca Soares

Morada

Lisboa

Naturalidade

Beja

Origem

Inquisição de Lisboa

Pai

Manuel Vilas-Boas, mestre

Sentença

auto-da-fé 01/06/1573. Solto e posto em liberdade, por ter sido acusado injustamente de judaísmo, (absolvido por falta de provas).

Cônjuge

Ana de Oliveira