Processo de Diogo Nunes Tomás

Crime/Acusação

judaísmo

Data da prisão

06/10/1729

Estado civil

casado

Estatuto social

cristão-novo

Idade

83 anos

Mãe

Guiomar Nunes

Morada

Engenho Novo na Paraíba, bispado de Pernambuco

Naturalidade

Serinhais, Pernambuco

Origem

Inquisição de Lisboa

Pai

Diogo Nunes Tomás

Cônjuge

Vitória Barbalha Bezerra

Cargos, funções, actividades

tenente

Notas

Por despacho da Mesa de 05/12/1730, foi ordenado que a sua sentença fosse lida no auto público de fé, fossem confiscados seus bens, que fosse levantada a excomunhão nos autos, e que os autos fossem levados ao Conselho Geral. O réu faleceu de apoplexia na prisão a 20/03/1730.