Processo de Pedro da Costa Brandão

Crime/Acusação

judaísmo

Data da prisão

26/11/1657

Estado civil

solteiro

Estatuto social

cristão-novo

Idade

23 anos

Mãe

Maria Henriques Loba

Morada

Abrantes

Naturalidade

Lisboa

Origem

Inquisição de Lisboa

Pai

João da Costa Brandão, rendeiro e banqueiro

Sentença

auto-da-fé de 16/09/1662. Confisco de bens, abjuração em forma, cárcere e hábito penitencial pérpetuo sem remissão, degredo por cinco anos para as galés, penitências espirituais.

Notas

O réu era clérigo "in minoribus", beneficiado na Igreja de São João Baptista de Abrantes.