Processo de frei Manuel da Apresentação

Crime/Acusação

judaísmo

Data da prisão

14/04/1672

Estado civil

solteiro

Estatuto social

parte de cristão-novo

Idade

27 anos

Mãe

Inês da Costa

Morada

convento do Bom Jesus de Balhelhas

Naturalidade

Montemor-o-Velho

Origem

Inquisição de Lisboa

Pai

António Luís "o Pardal", sapateiro

Sentença

auto-da-fé de 02/01/1674. Abjuração em forma, cárcere e hábito perpétuo, privado de voz activa e passiva e do exercício de suas ordens para sempre, penitências espirituais.

Cargos, funções, actividades

religioso professo da Ordem de São Francisco da Província de Portugal, sacerdote

Notas

No decurso do processo pelo qual foi detido, o réu apresentou-se voluntariamente, a 26 de Abril de 1672, confessando as culpas de sodomia, constituindo-se assim culpado de outro crime, tendo sido sentenciado no auto-da-fé privado de 5 de Janeiro de 1674 para não tornar a cometer tal crime.

Outras formas do nome

Manuel da Costa