Processo de Diogo António Xavier Soeiro

Crime/Acusação

perjúrio (acusando injustamente um sacerdote)

Data da prisão

11/09/1764

Estado civil

solteiro

Estatuto social

cristão-velho

Idade

26 de idade

Mãe

Ângela Adriana Paqueta, italiana

Morada

Lisboa, assistente em Évora, no seu convento

Naturalidade

Lisboa

Origem

Inquisição de Lisboa

Pai

António Xavier Soeiro

Sentença

auto-da-fé de 27/10/1765. Privado para sempre de voz activa e passiva, suspenso do exercício das suas ordens, degredado para as galés, por toda a vida, penitências espirituais. A pena foi-lhe levantada ao fim de 12 anos.

Cargos, funções, actividades

sacerdote, professo de Nossa Senhora do Carmo Calçado