Processo de Joaquim da Silva Freire

Crime/Acusação

impedir o recto ministério do Santo Ofício (fazer-se passar por oficial da Santo Ofício, sequestrando bens e prendendo pessoas, apresentando por vezes documentos que falsificara).

Data da prisão

05/02/1761

Estado civil

solteiro

Estatuto social

fidalgo da Casa Real

Idade

18 anos

Mãe

D. Brizida Teresa Rosa

Morada

Lisboa

Naturalidade

Lisboa

Origem

Inquisição de Lisboa

Pai

Inocêncio Alvares da Silva Freire, desembargador da Casa da Suplicação

Sentença

auto-da-fé privado de 06/04/1761. Inabilitado para servir o Santo Ofício, degredado para o reino da Índia, para toda a vida, pagar o prejuízo causado.

Cargos, funções, actividades

bacharel formado em leis, conventual na Ordem de Cristo

Notas

O réu era familiar do Santo Ofício.